Eric Schimidt e o fim da Internet

2015.JAN

Será mesmo assim? A internet tal como a conhecemos terá um fim.
Eric Schmidt, o presidente da Google, prevê que o modelo de internet, tal como existe nos dias de hoje, deixará de fazer sentido e, por isso, acabará por desaparecer.

Na opinião de Schimidt, a multiplicidade de dispositivos inteligentes e personalizáveis com possibilidade de interação com o que o que os rodeia, ditará uma nova realidade na internet. Nesta sua previsão, a internet estará presente o tempo todo no nosso quotidiano, fazendo parte integrante das nossas ações. O acesso apenas a partir dos computadores será obsoleto face à necessidade constante de interatividade.
Eric Shmidt fez estas declarações em Davos, no Fórum Económico Mundial de 2015, enquanto participante do painel de discussão "O futuro da economia digital", onde também marcaram presença outros nomes importantes do mundo digital como Sheryl Sandberg, do Facebook, Satya Nadella, da Microsoft ou Vittorio Colao, do grupo Vodafone.

Este novo paradigma estará talvez mais próximo da realidade do que possa pensar, com grandes empresas na área das TIs a anunciaram novidades nesse sentido: a Samsung anunciou que os seus produtos estarão interligados num espaço de 5 anos, a Apple criou já um certificado próprio de integração e a Intel tem um departamento específico para estudar a conexão entre dispositivos.

Esta visão otimista do presidente da Google em relação ao futuro não é partilhada por todos, que apontam o fim da privacidade como o principal problema desta evolução. Margo Seltzer, professora de Ciências da Computação em Harvard, e também participante neste fórum, prevê mesmo a morte da privacidade, que, aliás, está já a acontecer.