SXO, a evolução do SEO

2015.NOV

Jakob Nielsen, especialista em User Experience, diz que 10s é o limite para agarrar um utilizador num site. Assim é essencial utilizar as melhores tecnologias para chamar a sua atenção. É aqui que o SEO e a sua evolução, o SXO, entram em ação.
Do inglês, Search Engine Optimization, o SEO é o conjunto de estratégias utilizadas numa página de Internet para favorecer e melhorar a sua posição nos motores de busca. Estas estratégias concentram-se principalmente em otimizar rankings e indicadores de classificação dos próprios motores dando menos importância àquilo que o utilizador pode querer. No entanto, é preciso ter-se em atenção que a última palavra é do utente e é este que decide quais as páginas que vai consultar, com razões e argumentos independentes daquelas que os motores utilizam para os seus rankings.

Estes argumentos e razões mostram que o encaminhamento para a página certa deveriam influenciar a forma como o SEO trabalha para que o utilizador se sinta o mais confortável possível no que diz respeito a encontrar aquilo que deseja de forma simples, rápida e sem desvios, aumentado o respeito pelo utilizador e proporcionando-lhe uma experiência melhor.

É a estes aspetos que o SXO (Search Experience Optimization) vem dar uma resposta. Não sendo uma novidade, o SXO tem vindo a ganhar força e importância no mundo da Internet.
É bem verdade que esta mudança de apenas uma letra pode parecer quase insignificante mas ao mudar o seu alvo de observação e análise, focando-se mais sobre o utilizador, a transformação acaba por ser considerável. Prova disso são os quatro pontos em que o SXO se assenta:

1. O utilizador como ponto máximo da estratégia online
O ponto fulcral da pesquisa deve ser o utilizador e não os robôs que verificam os sites e o ranking dos mesmos. Convém perceber o que o utilizador realmente deseja, ler-lhe os pensamentos e dar-lhes valor de forma a mostrar-lhes o que mais lhes interessa e apela atraindo cada vez mais utilizadores. Se, por exemplo, modificar o tipo de linguagem no site para que se concilie mais ao consumidor final, isso vai mudar a forma como os motores de busca classificam a página perante cada utilizador devido às palavras-chave utilizadas.

2. A adaptação da estratégia da empresa à experiência do utilizador
Embora o termo SEO, por norma, não seja associado a tanta importância como um objetivo estratégico, a experiência do cliente quando navega no seu site já o é. O objetivo de uma empresa já não é somente angariar novos clientes mas sim assegurar que os atuais não escolhem um serviço prestado pelas empresas concorrentes. Para isso é necessário que todos os pontos de acesso ao cliente demonstrem qualidade e ter um website que produza uma experiência de navegação agradável é uma ótima forma de o fazer.

3. O ajustamento da equipa de desenvolvimento web
De forma que os utilizadores encontrem a informação correta de forma fácil e rápida, é necessário que as equipas técnicas estejam sempre a tentar aperfeiçoar o site na perspectiva do SXO estar o mais presente possível. É crucial que todos os programadores presentes no desenvolvimento da página estejam absorvidos e aplicados no projeto, o qual deverá ser o mais motivante possível para que ofereçam mais de si, seja realizado um trabalho melhor e atraia mais utilizadores.

4. O alinhamento estratégico da pesquisa orgânica e paga
Várias empresas optam por ter várias equipas autónomas nos métodos web. Uma equipa para o desenvolvimento do SEO, outra para a criação de conteúdo, etc. No entanto, idealmente, todas as equipas devem complementar-se, interagir entre si e ter uma boa comunicação para que o trabalho seja o mais cuidado e perfeito possível, melhorando assim os seus resultados e beneficiando a empresa. Quanto mais se comunicarem, mais podem valorizar a página e assim esta subirá no ranking dos motores de busca. Todas as equipas enriquecerão o seu trabalho e resultados (vendas, novos clientes, etc.).


Notas finais
Um estudo realizado por Jakob Nielsen, especialista em User Experience, demonstra que 10 segundos é o tempo limite para agarrar a atenção por parte de um comprador numa e-commerce. Assim, torna-se importantíssimo conhecer o utilizador e estar preparado para lhe oferecer o que ele procura dentro desse tempo e obter a sua confiança para que volte ao site.

Este é com certeza o ponto mais importante que diferencia o SXO do SEO. No entanto a evolução não parará por aqui e inclina-se para funções mais específicas dentro das empresas. O mais fascinante nesta evolução é perceber que o foco deixará de ser a quantidade de pessoas que passam por um site para passar a ser a qualidade do site e de oferecer um ambiente convidativo e motivador aos utilitários, beneficiando as empresas, seja em mercado, seja em renome.


Adaptado:
"SXO a evolução do SEO ou um complemento?", por Hélio Moreira
"O futuro do SEO: a evolução para o SXO", em Marketing Tecnológico